domingo, 25 de agosto de 2013

Derrota em dia historico no clube de Nine


O dia era de festa já que o Ninense fazia hoje a estreia absoluta em campeonatos nacionais, mas as coisas nao saíram de feição com os famalicenses a averbar  uma derrota caseira frente ao Vianense por duas bolas a uma.
Em campo defrontavam-se os opostos, com a equipa da casa a defrontar um dos clubes minhotos com mais historial nos campeonatos nacionais. O jogo teve poucas oportuniades de golo no primeiro tempo. Apesar de um dominio inicial dos visitantes, foi Pedrinho pelo Ninense quem teve a primeira chance de golo, com um centro bem medido para a area visitante, mas ninguem a aparecer dos de Nine para concretizar. Aos vinte minutos, um mau atraso quase resultava no primeiro golo forasteiro, mas o chapeu de Telmo saiu por cima do travessão da baliza de Andre Ferreira. Há passagem da meia hora, novo lance de perigo para as redes do Ninense, com China a salvar para canto em cima da linha de golo. Já perto do intervalo, Badara centra para Telmo, que desperdiça novamente ao cabecear ao lado da baliza dos locais. 

O intervalo registava um nulo que se aceitava, com as equipas no primeiro tempo a equilibrarem com poucos lances de perigo. 
Logo no reatar do segundo tempo, Bruno Silva rende Pedrinho e os locais passaram a jogar com dois homens bem na frente de ataque. Pouco depois , acontece o primeiro golo dos visitantes. Canto cobrado pela direita, com a bola a ser desviada no primeiro poste, e aparece Marcelo a empurrar para as redes desertas do Ninense. Estava desfeito o nulo, numa fase onde curiosamente , o equilibrio entre os dois conjuntos parecia prevalecer. O Ninense sacudiu um pouco a pressão, levantou a cabeça e foi á procura de um outro resultado. Bruno Silva poderia ter empatado logo de seguida, mas cabeceou fraco ao segundo poste.  Pouco depois, é Ruizinho que, desmarcado , chuta por cima. 

O Vianense apresentava agora as linhas bem recuadas, tentando espreitar um contra-ataque. Já nos minutos finais da partida, Luis Salgueiro bate um livre ao segundo poste, mas Cesar Marques em posição privelegiada, cabeceia por cima. Logo de seguida, o Vianense esgrime um contra-ataque, e o avançado vianense aparece isolado frente a Andre Ferreira, que defende num primeiro momento. O ressalto porém , acabaria por favorecer um outro jogador forasteiro, e Andre Correia acabaria por derrubar o adversario dentro da grande area. Na conversão do castigo maximo, Ruben nao perdoaria e dilatava o marcador. Os tres minutos de descontos dados pelo arbitro Pedro Campos acabariam por dar alguma emotividade á partida, algo que faltou durante muito tempo no jogo. Numa incursão pela direita, o central visitante acaba por cortar a bola com a mao, e Luis Salgueiro marcaria nova grande penalidade , desta vez a favorecer o Ninense. O tempo restante, porém, já era escasso e os dois minutos finais primaram por muito coração dos comandados de Joao Salgueiro, mas o resultado não mais se alterou, fixando-se no dois a um final para os forasteiros. 
Golo Ninense aconteceu já nos descontos 
No final , Joao Salgueiro , tecnico do Ninense acabou por considerar que o resultado certo seria mais o empate. " O Vianense esteve melhor na parte final do primeiro tempo, com algumas oportunidades. No entanto o nulo ao intervalo assentava bem, dadas as poucas oportunidades de golo. O segundo tempo foi jogado melhor, mas o golo do Vianense apareceu quando havia um certo equilibrio. O segundo golo, de penalti, trouxe algum anarquismo á nossa equipa, tentando o tudo por tudo para levarmos um resultado diferente. Levantamo-nos, e pena que o nosso golo tivesse acontecido só nos descontos. Embora admita que o Vianense tenha tido algum ascendente na partida, considero que o resultado mais justo teria sido o empate. No entanto este campeonato é mesmo isto." disse Joao Salgueiro. 

Pelo Ninense jogaram: 
Andre F., Andre, China, David, Cesar, Cesario (Salgueiro 75'), Joao Duarte, Helder, Ruizinho, Canetas e Pedrinho (Bruno Silva 55'). 

Sem comentários:

Publicar um comentário