segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Lotaria dos Penalties dita derrota na SuperTaça


Onze inicial do Ninense na SuperTaça em Vizela 
 A AD Ninense falhou o primeiro objectivo da temporada ao ser derrotado nos penalties por 4-3, após o nulo registado nos 120 minutos. 
A equipa famalicense entrou algo expectante no jogo, o que motivou um dominio do Vieira nos primeiros dez minutos. Ainda assim, primeiro sinal de perigo aos dez minutos para os famalicenses, quando Canetas salta melhor que o guarda-redes , a bola sobra , mas ninguem aparece do Nine para rematar á baliza. O conjunto do Vieira teve mais posse de bola no primeiro tempo, mas há que dizer, as oportunidades de golo foram escassas para ambos os lados. Á passagem dos vinte minutos, Andre correia rasteira Gala na entrada da area, do que resulta um livre perigoso para o Vieira. Do lance, apenas resultou em protestos do banco do Vieira, que ditou a primeira expulsão da temporada, com Roger Bastos bastante duro na abordagem ao arbitro. 

Excesso nos protestos e declarações devem dar castigo pesado a Roger Bastos
Aos trinta minutos, Canetas ganha uma bola e corre isolado para a baliza, mas é desarmado quando se preparava para rematar. 
Já perto do intervalo, o Ninense dispôs mesmo da melhor oportunidade do primeiro tempo, com Cesario isolado a não conseguir desfeitear Hugo, guarda-redes do Vieira. 
O segundo tempo trouxe um Ninense de cara lavada, e com alma renovada na abordagem de discutir o resultado. 
Logo a abrir a segunda parte, boa combinação entre Canetas, Cesario e Helder, que deixa David em boa posição ,que remata forte mas  permite o corte do central. 
Logo de seguida, lance polemico, brinde da equipa de Vieira do Minho, e Canetas, isolado,  é derrubado na area, mas o arbitro nada assinala. Na resposta, Luca aparece desmarcado pela esquerda, mas remata muito por cima. Ao quarto de hora de jogo, Pedrinho em jogada individual , passa por dois defesas , mas na hora de decisão, remata por cima. Logo de seguida , é Ruizinho quem remata fraco , num centro pela esquerda, que merecia melhor finalização. 
Era o melhor periodo dos comandados de João Salgueiro, que nesta segunda parte encostaram literalmente o Vieira ás cordas, com os jogadores de Roger Bastos a parecerem bastante desgastados. Começaram as movimentações no banco e o tecnico ninense promoveu a entrada de Luis Salgueiro e Bruno Silva , por troca com Cesario e Canetas. O dominio territorial continuou a pertencer aos de Nine, com uma sequencia de cantos e livres a rondar a equipa de Vieira, mas o perigo real nunca chegou a acontecer. 
Já recta final, com o Ninense a procurar obcessivamente um resultado positivo em noventa minutos de jogo, acabou por ser o Vieira a dispôr da melhor oportunidade de golo, num rapido contra golpe, mas André Ferreira foi enorme e segurou o nulo até ao apito final. 
Bola rondou as redes do Vieira no segundo tempo
        As duas equipas foram sujeitas, algo por culpa propria a mais trinta minutos complementares, mas o desfecho desta I SuperTaça seria mesmo decidido na marcação de grandes penalidades. 
O Ninense falharia duas das cinco tentativas, com Cesar Marques a rematar ao lado e Joao Duarte a permitir a defesa de Hugo, que assim se tornou o heroi do jogo.
Esta primeira edição do troféu teve varios aspectos positivos, numa prova que segundo o presidente da AF BRAGA , "é para manter";  foram muitos os adeptos das duas equipas que marcaram presença nesta final, cerca de um milhar marcaram presença no Estadio do FC Vizela; por outro lado, o espectaculo possivel nesta fase de pré-epoca foi meritorio, e julgo que o dinheiro do ingresso foi bem empregue; por fim , o exemplo de fair-play demonstrado pelas equipas dentro das quatro linhas.
No final , o tecnico ninense, João Salgueiro , não deixou de escapar alguma tristeza pelo objectivo falhado, dizendo que "acabou por ganhar o conjunto mais feliz nos penaltis", realçando tambem que "o Ninense pôs quase KO o Vieira no segundo tempo, mas não marcamos e eles reequilibraram-se", referiu o tecnico. 
Por outro lado, João Salgueiro referiu que "tentamos evitar a todo o custo o prolongamento, e na segunda parte as substituições foram no sentido de resolver o jogo, já que neste momento da temporada os jogadores nem estão aptos a jogar noventa minutos, quanto mais cento e vinte", concluiu Joao Salgueiro. 
Momento de boa disposição entre João Salgueiro e Jose Clemente , da FAMA TV



Sem comentários:

Publicar um comentário