domingo, 20 de Abril de 2014

Seniores: Embora tardio, empate soube a pouco


Empate no terreno do Pedras Salgadas mantem a vida dificil para o Ninense.

Tarde de frio em terras transmontanas onde apenas o calor do jogo parecia ser motivo suficiente para os mais de cinquenta irredutiveis ninenses decidirem ir a Vila Pouca de Aguiar assistir a uma partida onde muito se decidia mas...onde nada ficou decidido. 
Frente a frente defrontavam-se duas equipas com estados de espirito diferentes, mas ambas ávidas de pontos com o objetivo da manutenção neste Campeonato Nacional de Seniores. 
O jogo começou com um ritmo vivo, embora as equipas pouco arriscassem. O primeiro sinal de perigo seria mesmo dos visitantes logo aos dez minutos, mas o remate de Helder Guimaraes saíu pela linha lateral. Na resposta, Ramalho remata um livre frontal, mas ao lado das redes do ninense Andre Ferreira. Aos poucos, a equipa da casa foi-se acercando com mais perigo , e acabou por capitalizar essa fase do jogo. Aos vinte minutos, Meira quase surpreende Andre Ferreira com um chapeu, mas a bola sai ao lado. Logo de seguida, Guillaume escapa pela esquerda, centra com perigo, mas China corta para canto. Na sequencia do canto, Malam, provavelmente o atleta mais baixo desta equipa do Pedras Salgadas, aparece solto na grande area ninense e cabeceia sem oposição, fazendo o golo inaugural da partida. O jogo tornou-se mais pausado , com o Ninense a ter de ir á procura do empate e os da casa a espreitarem um contra-golpe. Já perto do intervalo, Helder Guimaraes aparece solto na area local, mas tenta um ultimo drible e o guarda-redes Rafa em saida arrojada fica com a bola. Minutos depois seria China quem não aproveitou um bom centro de Ruizinho, cabeceando ao lado e fraco. 

O segundo tempo foi de dominio dos visitantes. Aos cinco minutos, China de novo tem o golo do empate , mas cabeceia novamente por cima da baliza do Pedras. Badará não faria melhor, quando em posição frontal desfere um remate forte, mas Ramalho no sitio certo, cortaria a bola. A pressão dos comandados de Jose Lobo intensificava-se e nesta altura o Pedras Salgadas pautava-se por algum anti-jogo, já que misteriosamente os apanha-bolas destacados para o desafio desapareceram do Complexo , tendo de ser os jogadores a correrem atrás das bolas para poder retomar a partida. Muito feio de se ver. 
O jogo continuava animado e Capela rendia Badará perto do quarto de hora de jogo. O atacante ninense quase marcava no primeiro minuto que entrara, mas a cabeçada saía fraca. Aos vinte minutos seria novamente Ramalho a desviar para canto um golo quase certo dos ninenses, após livre de Helder Guimarães. Os lances de perigo sucediam-se , e já perto do final da partida Capela tem a perdida da tarde, ao aparecer completamente isolado frente a Rafa Albuquerque, mas a ser lento na decisão e o guarda-redes a roubar-lhe a bola. Latyr quase sentenciava a partida no primeiro remate dos locais na segunda parte, mas a bola sai ao lado. 
Se existe algum tipo de justiça poetica, então ela apareceu no Complexo Desportivo de Vila Pouca de Aguiar. A dois minutos do final, David , numa das suas arrancadas pelo corredor esquerdo, centra com precisão e Bruno Silva de cabeça empata o jogo , para delirio dos ninenses. Nesta altura, lá apareceram novamente os apanha-bolas, bombeiros e até a policia já dava uma "maozinha" para repor as bolas em jogo. O golo do Pedras ainda quase aconteceu por intermedio de Latyr, mas Andre Ferreira com uma estirada espetacular negou o golo e segurou o empate. 
Acabou por acontecer um resultado que de pouco serviu as duas equipas, mas que lançou ainda a incerteza da permanencia para as ultimas quatro jornadas deste Campeonato Nacional de Seniores. 


"Penso que fizemos uma boa partida, com muito caudal ofensivo, em especial no segundo tempo. Pena que o nosso golo fosse tardio, acho que podiamos ter levado outro resultado. O futebol é isto, ninguem ganha partidas se não marcar golos. Continuo a acreditar na manutenção"
Jose Lobo, treinador do Ninense

Ficha de Jogo

Complexo Desportivo de Vila Pouca Aguiar

JUVENTUDE PEDRAS SALGADAS 1 - AD NINENSE 1

Arbitro : Jose Rodrigues com Paulo Mendes e Daniel Santos (AF PORTO)

Pelo Pedras jogaram: Rafa, Dani, Ramalho, Mike, Meira, Malam, Tiago Mourão, Latyr (Jorge Roxo 90'), Pedro (Eloy 67'), Fall ( Gabi 83'), e Guillaume.
Treinador: Carlos Guerra

Pelo Ninense jogaram: Andre Ferreira, Madior, China, David, Helder Oliveira, Armando, Bruno Silva, Helder Guimaraes ( Joao cruz 81'), Ruizinho, Renato e Badará (Capela 59').
Treinador : Jose Lobo

Marcadores: Malam (24') e Bruno Silva (88')

Disciplina : Amarelos : Renato (38'), Dani (56'), David (58'), Guillaume (63') e Malam (77').
Vermelhos : Nada a assinalar .

segunda-feira, 14 de Abril de 2014

Infantis A continuam na liderança da Serie H


Continua a boa prestação das equipas Infantis nos Campeonatos da Associação Desportiva Ninense. 
Em dupla jornada contra o Famalicão, os miudos de Nine impuseram o seu futebol e levaram de vencida as equipas famalicenses com alguma facilidade. No Domingo, os Infantis B bateram o seu adversario por tres golos sem resposta. Já na Serie H, os Infantis bateram o Famalicão por cinco golos a dois. 
Carlos, Ruben, Vitor e Duarte foram os marcadores de serviço.
A quatro jornadas do fim , a equipa de Pedro Silva e Telmo Campos continuam lideres da prova , ainda que o Joane tenha menos um jogo. Curiosamente, a proxima jornada contará com um Joane-Ninense. 


domingo, 13 de Abril de 2014

Afinal a solução estava mesmo no banco


Badara saltou melhor que os adversarios e marcou o golo da vitoria 
Ninense bate lider Fafe e continua a acreditar na manutenção

Quem esteve este Domingo a assistir a partida no Complexo Desportivo em Nine certamente se questionou sobre quem era afinal o lider inconstestado e o lanterna vermelha do Campeonato.
Numa tarde de intenso calor, foram muitos os que marcaram presença nas bancadas, para assistir a esta épica vitoria do Ninense sobre o Fafe por duas bolas a uma.  Após o desaire da semana passada, Jose Lobo não poderia desejar uma estreia em jogos caseiros tão promissora  e logo com uma vitoria sobre o lider da prova. O tecnico dos famalicenses já podia contar com os castigados David, Emerson e Madior , assim como o regresso do lesionado Diop. 
Cedo se percebeu que o Ninense entrou com muita ambição, ávido de pontos, e jogando olhos nos olhos contra o adversario, acabando no final por ser premiado por tal ousadia. O primeiro sinal de perigo foi mesmo dos ninenses, e saiu da cabeça de Helder Guimaraes que logo aos dez minutos correspondeu a um bom centro de Ruizinho. Pedro Freitas , nas redes fafenses é que não foi em conversas e encaixou com segurança. O primeiro remate do Fafe só apareceu ao minuto vinte, com Ze Brochado a rematar para defesa facil de Andre Ferreira. O Fafe apostava no erro dos ninenses, com lançamentos longos nas costas dos laterais de Nine, mas Renato e David estavam em grande, dando poucas hipoteses aos fafenses. 

Aos trinta e sete minutos, Diop sai lesionado dando o seu lugar a Badara, que viria a ser determinante no resultado final. Pouco antes do intervalo, Ze Brochado escapa pela esquerda, mas ninguem aparece dos lados de Fafe para encostar na baliza ninense. Estava a decorrer o ultimo minuto do primeiro tempo e a resposta não podia ser mais letal. Badara escapa bem á marcação do central Andre e aparece isolado, marcando com alguma facilidade o primeiro golo do Ninense.
Badara marcou dois golos á sua antiga equipa

O apito para intervalo chegou de seguida, e o descanso fez bem aos de Nine, trazendo do balneario alma renovada para o segundo tempo. Os homens de Nine trocavam bem a bola, com muita garra e esforço, enquanto o Fafe esboçava tenue reacção, talvez admirados pela transfiguração deste Ninense. Aos dez minutos, livre batido pela direita por Ruizinho, e Badara entre os centrais fafenses novamente a fazer estragos, cabeceando fulminante para a baliza, com a bola ainda a bater no poste de Pedro Freitas e a só parar nas redes visitantes. 
Começou a dança das substituições e Agostinho Bento rapidamente esgotou as tres substituições no lado do Fafe. Do lado do Ninense, Jose Lobo mandou baixar as linhas defensivas, com Bruno Silva a ser rendido por Fabio e Badara a ser a referencia na frente de ataque. Aos trinta minutos de jogo, grnde momento na partida com Andre Ferreira a defender para canto com uma enorme defesa  um golo quase certo do Fafe. 
Helder Guimaraes, que correra quilometros, sai esgotado entrando Madior na partida. Já perto do final, Fabio escapa pela esquerda e serve Badara, que novamente isolado , não consegue desta vez desfeitear o guardião do Fafe, rematendo á figura. Já nos descontos, o Fafe marcou o tento de honra por intermedio de Joao Nogueira. Descida rapida pela esquerda, e a bola atrasada a sobrar para o medio visitante , fazendo o golo e relançando a partida. 
Os quatros minutos finais dos seis minutos de descontos pareciam infindaveis, mas com alma e raça, os bravos ninenses susteram a ultima investida fafense, conquistando os tres pontos em disputa e adiando assim a decisão da manutenção para os proximos desafios. 
Acabou por ganhar a equipa que mais procurou a vitoria com mais posse de bola e dominio na partida, independentemente da posição na tabela classificativa. A arbitragem esteve em bom plano, sem casos dificeis para ajuizar. 
Andre Ferreira em mais uma grande intervenção no desafio 
"Foi um jogo onde não se percebeu bem quem é que ia na frente do campeonato. Fizemos um grande jogo e conquistamos a vitoria com todo o merito".
Jose Lobo , treinador do Ninense

Ficha de jogo

Complexo Desportivo Nine
AD NINENSE 2 -  AD FAFE 1

Arbitro : Gonçalo Martins ( AF VILA REAL ) com Sergio Correia e Tiago Mota

Pelo Ninense jogaram:  Andre Ferreira, China, David, Emerson, Bruno Silva (Fabio 66'), Diop (Badara 37'), Renato, Helder Guimarães ( Madior 82'), Armando, Ruizinho, e Helder Oliveira.
Treinador: Jose Lobo

Pelo Fafe jogaram: Pedro Freitas, Andre, Joao Nogueira, Silvestre, Dino ( Castro 64'), Raviola, Ferrinho, Tiago (Jose Pedro 64'), Brochado , Xavi e Gil ( Vasco 56').
Treinador : Agostinho Bento

Golos:  Badara (45' + 56'), Joao Nogueira (90+2')

Disciplina:Amarelos: Armando (23'), Tiago (49'), Xavi (52'), Bruno Silva (62'), Joao Nogueira (69') e Ferrinho (83').
             Vermelhos: Nada a assinalar.

segunda-feira, 7 de Abril de 2014

Juniores encarreiraram oito golos no Carreira



Mais um difícil teste passado com distinção. Juniores levaram de vencida equipa do Carreira com oito golos a um.

Ponto prévio: Tratou-se de um resultado invulgar, já que dificilmente o Ninense encaixará novamente oito golos ao Carreira, e a equipa de “S.Miguel” não tem assim tão fraco conjunto para sofrer tão pesada derrota.
 Voltando ao jogo em si, embora o jogo da primeira volta tenha sido equilibrado, e tratando-se de um derbi local onde grande parte dos jogadores das duas equipas são amigos e colegas de escola, poderia-se assumir que iria ser um jogo equilibrado, o que acabou por não acontecer.
Seveiro abriu as hostilidades ao marcar de livre direto logo aos cinco minutos. Logo de seguida seria Peixoto a ampliar o resultado com um golo de grande penalidade. O Carreira ainda esboçou uma reacção positiva, subindo no terreno e impondo alguma agressividade na partida, mas acabaria por ser “traído” por um próprio jogador quando mesmo nas barbas do arbitro pontapeou por trás e sem bola o jogador Rafa do Ninense, recebendo ordem de expulsão e deixando a equipa barcelense fragilizada com menos uma unidade em campo.
Estava decorrida apenas meia hora de jogo, mas adivinhava-se que a vitoria não mais fugiria aos comandados de Sergio Campelo.


Os golos foram surgindo de forma algo natural , e que golos , alguns de muito belo efeito, com Jorge Fonseca e Jordan a dispararem autênticos mísseis , fuzilando as redes do desamparado guardião do Carreira. Diogo Matos e Picó também não perderam oportunidade de faturar , mas o momento de jogo estava reservado para o golo do Carreira, marcando um golo de belo efeito do meio campo.  
Num jogo onde tudo correu bem para os de Nine, acabou por ser um bom espectáculo de futebol, com muitos golos e muito publico na bancada.
Uma palavra para a boa campanha deste Carreira, que para ano de estreia está a fazer um bom campeonato, dispondo no seu plantel alguns jogadores de muita boa qualidade.
 Quanto ao Ninense, continua uma interessante luta a três pelo titulo de campeão nesta Serie A, com Martim e Ceramistas no encalço do Ninense. 

domingo, 6 de Abril de 2014

Seniores: Minutos finais foram fatais


Ninenses venderam cara a derrota perdendo nos instantes finais da partida.

Em mais um jogo a contar para o Campeonato Nacional de Seniores, o Ninense jogava em Viana mais uma decisiva cartada na luta pela manutenção. 
Era grande a expectativa sobre esta partida, já que o Ninense estreava no banco o novo tecnico Jose Lobo, treinador contratado esta semana. A equipa de Nine apresentava-se bastante desfalcada , e entre castigados e lesionados contava apenas com quinze atletas seniores, socorrendo-se assim aos tres juniores Picó, Peixoto e Seveiro. No onze inicial aparecia Fabio e Bruno Silva na frente de ataque.
Fabio Carvalho foi titular no onze ninense 
O jogo começou com uma excelente oportunidade para o Vianense, mas o remate de Vitor Sousa saiu perto do poste de Andre Ferreira. Na resposta, Helder Guimaraes chuta á entrada da area, mas Paulo Cunha encaixou com segurança. O Vianense começava a tomar conta do jogo, encostando o Ninense no seu meio campo, mas o ultimo passe revelava-se perdulario e a defensiva ninense chegava para as encomendas, com Fabio a dar bem conta do recado nesta sua estreia a titular. Apesar de bem disputada, e pautada por algum equilibrio, a primeira parte acabava por ter poucos lances de golo, com o Vianense a criar perigo já perto do intervalo num contra-ataque , mas Helder Oliveira cortou com segurança para canto quase na linha de golo. 

O segundo tempo trouxe um Vianense mais perigoso, com o Ninense a jogar com as soluçoes de que dispunha, mas muita compacta e solidaria, defendendo com unhas e dentes as redes de Andre Ferreira. Aos cinco minutos, Adul cabeceia ao travessão da baliza ninense. Na resposta, Bruno Silva quase surpreende o Vianense ao cabecear sem oposição ao segundo poste mas a bola a sair a centimetros do poste. Poucos minutos depois, lance parecido, mas no meio campo ninense, que desta feita resulta em golo. Livre marcado para o Vianense, numa especie de canto curto, e Amaral aparece tambem ele isolado ao segundo poste cabeceando livre de marcação , fazendo o tento vianense. 
A resposta ninense aparecia timida, salpicada com alguma ansiedade, que valeu cartões amarelos a Helder Guimaraes e Joao Cruz. Meia hora de jogo do segundo tempo, e embora com muita vontade, os famalicenses causavam pouco perigo. Do lado dos de Viana, mais uma perdida, com Adul a proporcionar grande defesa a Andre Ferreira.  Primeira substituição no Ninense e minuto seguinte , golo do empate;
O recem-entrado Badara domina a bola, e desmarca Bruno Silva que dribla dois defesas e remata para as redes de Paulo Cunha.

No entanto, a defensiva ninense revelava-se bastante permeavel durante toda a partida, e no lance imediato quase sofria novo golo, mas Andre Ferrreira , com defesa arrojada, segurou o esferico.  Na resposta, o Ninense teve oportunidade de ouro de chegar á vantagem, mas Badara, isolado, não conseguiu desfeitear o guardião de Viana. 
O Vianense começou então a encostar o Ninense ás cordas, e a equipa teve de ser retocada , com Fabio e Renato a sairem por lesão no lado dos ninenses. 
Apesar dos seis minutos de descontos dados pelo arbitro, este Ninense dava tudo por tudo para segurar o empate, mas acabou por sofrer o tento da derrota já nos descontos, com Magalhaes a aparecer acampado na area ninense e a fazer facilmente o golo da vitoria do Vianense. Muitos presentes no Estadio Jose de Matos comentavam que havia fora-de-jogo no lance, o que acabou por indignar alguns dos numerosos ninenses que marcaram presença em Viana do Castelo este Domingo. 
Se o Ninense pode dizer que alcançara o empate com alguma fortuna, já que os comandados de Ricardo Silva tiveram bem mais chances de golo que os famalicenses, acaba por ser crua e dura a forma como se averbou esta derrota , depois de mais de noventa minutos de entrega ao jogo por estes atletas. Mas a magia do futebol é mesmo isto. Tal como na vida, o futebol é feito de tristezas e alegrias. 
Nada que impeça os adeptos nesta epoca historica de acompanhar a sua equipa. Foram largas dezenas os adeptos ninenses que marcaram presença em Viana, acompanhando a sua equipa do coração. 
Perguntava-me um adepto de Viana, como pode uma equipa em posição tão precária na tabela classificativa, trazer tanta gente e sempre a apoiar incondicionalmente a equipa. "Esta é a mistica do adepto ninense", respondi sem hesitação...
Muitos Adeptos ninenses na visita a Viana
Ficha do Jogo 

Estadio Jose de Matos

SC Vianense 2   -   AD Ninense  1
Arbitro :  Rui Oliveira  ( AF PORTO )

Pelo Vianense jogaram: Paulo Cunha, Adul, Miguel (Andre 83'), Ruizinho, Yero, Amaral, Coentrão, Rui Faria (Magalhaes 62'), Marcelo, Vitor Sousa e Ruben.

Pelo Ninense jogaram: Andre Ferreira, Fabio ( Tiago Oliveira 76'), Armando, Helder Guimaraes, China, Ruizinho, Bruno Silva, Capela, Joao Cruz (Badara 71'), Renato (Tiago Fernandes 89'), Helder Oliveira.

Marcadores:  Amaral (63'), Bruno Silva (74') e Magalhaes (90+2).
Disciplina: Amarelos:  Ruizinho (47'), Fabio (62'), Helder Guimaraes (65'), Joao Cruz (67´), Armando (78´), Badara (86'), e Andre (86').
Vermelhos: Nada a assinalar.

domingo, 30 de Março de 2014

Juniores reforçam liderança no Campeonato

Meia hora em campo foi suficiente para Filipe bisar na partida 
Segunda parte demolidora com três golos carimbaram vitoria  sobre os Ceramistas.
Tarde de sol em Galegos S.Martinho onde muito se decidia sobre este interessante campeonato de Juniores,  num jogo onde opunha os primeiros classificados do campeonato, as equipas do Ninense e Ceramistas.
Talvez por isso se antevia um jogo equilibrado o que acabou por acontecer apenas no primeiro tempo. De facto, o desafio começou com as equipas a arriscarem pouco e as oportunidades de jogo escassas. O golo da equipa da casa, já perto do final do primeiro tempo, acabou por resultar de um dos poucos erros defensivos de ambos os conjuntos , neste caso com o Ceramistas a capitalizar um erro colectivo ninense, que foi lenta a aliviar uma bola perdida na sua área, com o atacante barcelense a fazer o golo inaugural com alguma facilidade.  A equipa de Nine jogava bem, parecendo adaptar-se bem ao piso do terreno, em especial com Jordan e Picó nas alas a conseguirem por vezes escapar á marcação impiedosa dos alas da casa.

Muita garra de Jordan , quer a atacar ou a defender 
O Ceramistas tinha feito da entrega e da disponibilidade física o seu ponto forte no primeiro tempo, algo que acabou por prejudicar a equipa no segundo tempo, com muitos jogadores da casa a caírem prostrados no terreno com caimbras  ou a saírem lesionados. Mas vamos já lá.
Mesmo com a derrota ao intervalo, os pupilos de Sergio Campelo fizeram ecoar do balneário o grito de guerra, mostrando que vinham dispostos a lutar por um resultado diferente na etapa complementar. E assim foi. O segundo tempo foi dominado pelo Ninense, encostando o Ceramistas ás costas. No meio campo, Luis Peixoto e Jorge Fonseca começavam a pegar no jogo, lançando rápidos ataques nos alas Jordan e Picó.  No centro de ataque, Higor fazia um jogo inteligente, procurando fugir á marcação dos impiedosos centrais da casa. Sergio Campelo decidiu então pela entrada de Filipe, que haveria de ser crucial na reviravolta do marcador.  Jordan seria o primeiro dos sacrificados, ele que fez um trabalho importante no desgaste físico do adversário.  Em cinco escassos minutos, o Ninense fez valer os seus trunfos e marcou dois golos. Primeiro, na sequencia de um canto , a bola sobra para o central Veloso, que fuzila as redes dos da casa. 

Veloso abriu o caminho da reviravolta no marcador
Passados poucos minutos de ter entrado, Filipe tem lance de genio, e rubrica o golo da tarde, com um remate poderosíssimo  a trinta metros que colocou o Ninense na frente do marcador. Haveria ainda oportunidade para o guarda-redes ninense Daniel brilhar , quando um atacante do Ceramistas ficou isolado , mas Daniel , rápido sobre a bola evitou o golo do empate. No entanto, os da casa sentiram o golo e nunca mais conseguiram encontrar-se no jogo. Coube ao Ninense as mais claras oportunidades para sentenciar a partida. Luis Peixoto, por um punhado de vezes teve o golo da tranquilidade nos pés, mas ambos os remates saíram ao lado.
Muita luta e virilidade no jogo entre Ceramistas e Ninense
No entanto o terceiro golo do Ninense acabaria por acontecer. Filipe escapa bem á marcação dos extenuados centrais da casa, e á saída do guarda-redes faz novamente um golo de efeito , bisando na partida.

O jogo estava no final, mas haveria tempo ainda para duas expulsões. O mau perder por vezes leva a actos irreflectidos, e um jogador do Ceramistas agride Vitó, deixando-o prostrado no chão. O jogador ninense levanta-se para tirar satisfações com o adversário, e o arbitro , em decisão salomónica, acaba por expulsar ambos os jogadores. Pouco mais haveria a acrescentar na partida, com o resultado final de três bolas a uma para o Ninense que soma assim importante vitoria neste campeonato. Uma palavra de apreço a estes Ceramistas que tem excelente equipa, e que merecem sem duvida terminar o campeonato nos lugares cimeiros da tabela classificativa. De realçar o excelente desafio dos miúdos de Sergio Campelo esta tarde. Uma grande equipa, que não se atemorizou com o resultado negativo, com muito espirito de equipa, muitos voluntariosos a atacar e muito solidários a defender, a exemplificar o que é a verdadeira união do grupo.