sábado, 23 de maio de 2015

Juvenis sobem á 1ª Divisão da AF BRAGA

 
Triunfo no Delães por cinco bolas a uma colocam Ninense num dos melhores segundos classificados, garantindo assim a subida de escalão. 
Num jogo de sentido unico, os Juvenis fecharam a temporada com nova goleada, desta feita no Delães. 
Numa tarde de calor intenso já a lembrar o Verão que se avizinha, foi desde cedo o Ninense quem pegou nas redeas da partida, já que estava obrigado a vencer. 
Aos dez minutos, um mau atraso de Duarte quase dá o primeiro golo ao Ninense, mas Simão , avançado ninense, deixa a bola escapar. Pouco depois, é o mesmo Simão que na cara de Edu, guarda-redes do Delães, permite a intervenção do jogador da casa. Minutos volvidos, Simão falha novamente, com o remate cruzado a sair um pouco ao lado. Quem não falharia seria Alvaro Pinheiro perto da meia hora de jogo. Canto batido pela esquerda, e o central goleador a cabecear mais alto e a marcar o primeiro da tarde. 

O segundo golo apareceria logo de seguida. Rapida arrancada da equipa ninense pela esquerda, e Ze Carlos, na boca da baliza, só teve de empurrar para um golo facil. Dois minutos volvidos, é Bruno Ferreira quem deixa a sua marca na partida , ao carimbar o terceiro , depois de ladear o guarda-redes. 
O Delães apenas criaria perigo já perto do intervalo, mas Marcelo rematou ao lado da baliza de Tiago , que teve tarde de descanso. Já em cima do intervalo, o Ninense chega ao quarto golo atraves de Simão na marcação de uma grande penalidade indiscutivel. 


O Ninense dispunha de vantagem confortavel para encarar a segunda parte, mas acabou por entrar a todo o gás após o intervalo. Ainda assim, só haveriam de serem marcados mais dois golos, um para cada lado. Aos vinte minutos , Alvaro Pinheiro bisava na partida, com um remate cruzado. Já nos minutoa finais, o Delães chegaria ao golo de honra, na marcação de uma grande penalidade.  Pelo meio , o Ninense dispôs de varias oportunidades para sair de Delães com um resultado bem mais gordo, tendo mesmo visto ser anulado um golo por fora-de-jogo. Ainda assim, os "serviços minimos" foram garantidos, a vitoria ajustou-se e os Juvenis coroavam uma excelente temporada com a subida de divisão a escassos tres pontos do campeão Oliveirense. No final , Claudio Araujo era o espelho de um treinador feliz por esta vitoria que lhe permitiu  somar uma subida de divisão ao seu curriculo de jovem treinador. A equipa, radiante, comemorou em campo, sob olhar atento dos familiares e adeptos dos jovens atletas que hoje fizeram historia no escalão juvenil da Associação Desportiva Ninense.

Ficha de Jogo 

Campeonato Distrital 2ª Divisão Juvenis Serie C 
Campo de Jogos do Delães 

CD Delães 1 - AD Ninense 5 

Arbitro: Pedro Pinto auxiliado por Gaspar Fernandes e Tiago Mendes 

Pelo Delães jogaram: Edu, Rui, Duarte, Bimbo, Filipe, Rafa, Barbosa, Abreu, Marcelo (Hugo 60 m), Pereira e Sergio (Canetas 40 m). 

Pelo Ninense jogaram: Tiago, Andre, Bruno, Alex, Nelson, Alvaro, Marco, Moreira (Alessandro 50 m), Bruno Ferreira (Felix 60 m), Simão e Ze Carlos (Veiga 57 m). 
Treinador : Claudio Araujo 

Marcadores: Alvaro ( 26 m + 60 m), Ze Carlos ( 29 m), Bruno Ferreira (33 m), Simão (40 m) e Hugo (78 m). 
Disciplina: Amarelos: Edu (40 m),   Tiago (78 m) e Filipe (80 m).


domingo, 17 de maio de 2015

Declarações do treinador Hugo Santos no final da partida



No final da partida, Hugo Santos era um treinador desiludido com o empate, mas feliz pelo trabalho desenvolvido sob a sua orientação. Aqui ficam as suas declarações. 

" Foi um jogo de sentido unico, á imagem de outros jogos que disputamos no passado. Infelizmente não conseguimos concretizar uma jogada que nos desse golo , e a ansiedade foi tomando conta dos jogadores. Tivemos sete a oito claras oportunidades para marcar. Depois apareceu o penalti no ultimo minuto, e acabou por se confirmar a sina desta equipa, com mais um castigo maximo desperdiçado. Fica aquela sensação amarga de mais dois pontos perdidos que inclusivamente ditaram a descida ao quarto lugar do campeonato. Repare que na jornada passada lutavamos pelo primeiro lugar , e terminamos em quarto. A sensação não pode ser outra que não esta sensação amarga. Acabamos por fazer uma grande segunda volta onde apenas o Maria da Fonte fez mais pontos que nós, e onde disputamos jogos com elevado grau de dificuldade. Era nosso proposito quando aqui chegamos colocar o Ninense na luta pela decisão do titulo e acabamos por o conseguir por varias ocasiões. Sabiamos que havia um lote de tres a quatro equipas que tinham condições para isso, mas que igualmente iriam haver tres que ficariam tristes no final por não conseguir esse objectivo. Infelizmente nós fomos uma delas. Sobre o que falhou considero haver alguns factores: Quinze empates são demasiados empates para uma equipa que pretende ser campeã; são trinta pontos perdidos em quarenta e cinco; por outro lado, temos tambem a estatistica dos golos marcados e sofridos. Fico contente que tenhamos sido a defesa menos batida e com somente cinco derrotas em todo o campeonato; não acho que o registo de golos ( quinto pior ataque da prova) seja relevante, já que costumo dizer que estar a ganhar por um zero é como se estivesse a golear. Repare que das quatro equipas que desceram , apenas o Celeiros tem menos golos marcados que nós. No entanto , as outras equipas , mesmo com mais golos marcados que o Ninense , acabaram por descer. Depois existem outros factores extra-futebol que condicionaram a nossa prestação. O Ninense teve que jogar contra um Ronfe na sua força maxima ( saldo de um empate e uma derrota) , enquanto outras equipas jogaram contra os seus juniores. Depois o calendario de jogos tambem não ajudou; tivemos uma sequencia de jogos terriveis e todos decisivos. Finalmente as lesões no plantel. Repare que nos ultimos dez jogos em nenhum pude fazer as tres substituições. Hoje foi um exemplo disso mesmo. Tive de meter um junior, que até entrou bem no jogo. Mas existem tambem aspectos bons a salientar. Penso que com a nossa presença criamos uma familia , um bom grupo de trabalho e de amigos, onde não foi registado um unico caso de indisciplina. Agradeço ao presidente e a toda a direção a confiança depositada em mim e ao apoio da massa associativa e penso que este Ninense da segunda volta do campeonato pode ser uma equipa de grande futuro." 

Hugo Santos , treinador do Ninense

Seniores: Nulo em Brito no fecho do campeonato


Christophe falhou uma grande penalidade a favor do Ninense no ultimo minuto. Nulo manteve-se , e Ninense fechou as contas do campeonato no quarto posto. 

Este era um jogo longe dos palcos decisivos desta Pro-Nacional, mas onde o Ninense entrou determinado na disputa do três pontos. O Brito, por seu turno,  já tinha carimbado o passaporte da salvação há algumas jornadas atrás. 
Com uma equipa a espelhar o que foi a temporada (muitos lesionados e alguns castigados), Hugo Santos teve de recorrer a um quarteto campeão junior para compor o banco de suplentes. 
O primeiro remate com perigo aconteceria apenas aos vinte minutos. Barroso rompe pela defensiva dos da casa, serve Canetas, mas o dianteiro ninense remata para grande defesa de Rodrigues, guardião dos locais. No minuto seguinte, o guardião tem nova intervenção decisiva, após remate de Joao Silva. Seguiu-se Meira com um remate surpresa do meio da rua para nova defesa do guarda-redes. Já perto do intervalo é Canetas, que num remate á meia volta permite nova grande defesa de Rodrigues. O Brito bem podia congratular o seu guardião pelo nulo com que se chegou ao intervalo. 
Aos dez minutos da etapa complementar, o Brito finalmente cria uma oportunidade de perigo. Canto apontado pela esquerda, Vitinha a cabecear para a baliza, e Andre Ferreira defende por instinto uma bola com selo de golo. Na resposta, Rodrigues quase borra a pintura. Centro de Joao Silva e o guarda-redes local quase mete a bola na propria baliza. Aos vinte minutos , Hugo Santos promove a entrada do junior Diogo Matos, rendendo Meira.  O junior quase tem uma entrada de sonho, mas o passe açucarado de Canetas resultou num remate por cima da baliza anfitriã. 
Perto da meia hora, Joao Silva é carregado na area, lance que passou despercebido ao trio de arbitragem. O Ninense tinha mais posse de bola e o Brito apenas piscava o olho em contra-ataques. Num desses lances, Freitas falha clamorosamente o golo dos da casa , rematando á malha lateral da baliza deserta. A cinco minutos do final, Martins é punido com cartão vermelho por responder a uma agressão do jogador da casa Dinis. Mesmo com menos uma unidade em campo, foi o Ninense que tentou o golo nos instantes finais. Já nos descontos, Christophe é empurrado na area do Brito e o arbitro marca a grande penalidade para o Ninense. O lance despoletou muita confusão nas bancadas, com muitas agressões e cenas de pancadaria á mistura. Serenados os animos e retomada a marcação do castigo maximo, o jogo terminou com a defesa de Rodrigues, após remate de Christophe. 
O nulo manteve-se e face á vitoria do Maria da Fonte, o Ninense termina a campanha com um honroso quarto posto na tabela classificativa.



Ficha de jogo

Campeonato Pro-Nacional AF Braga  34ª Jornada

Parque desportivo de Brito

Brito 0 - AD Ninense 0 

Arbitro : Hernani Barbosa auxiliado por Pedro Ferreira e Fabio Silva 

Pelo Brito jogaram: Rodrigues, Gil, Leandro (Silvio 90+2 m), Paulinho, Ricardo Cruz, Freitas (Joao Ribeiro 83 m), Vitinha, Andre (Dinis 76 m), Matias, Nexa e Luis. 
Treinador: Andre Pereira

Pelo Ninense jogaram: Andre Ferreira, Rafa, China, Joao Dias, Joao Silva, Canetas, Pinheiro, Barroso, Christophe, Meira ( Diogo Matos 63 m ) e Martins. 
Treinador: Hugo Santos 

Disciplina: Amarelos: Pinheiro (43 m), Nexa ( 55 m),  Rodrigues ( 66 m), Paulinho ( 76 m), Canetas ( 79 m), Martins (83 m),Dinis ( 86 m) e Vitinha (90+4 m).
Vermelhos: Martins ( direto 86 m).

Juvenis a um passo da subida de divisão

Andre já nos habituou a grandes golos e o deste jogo não foi excepção
 
Juvenis asseguraram o segundo lugar no campeonato ao bater o Ruivanense por duas bolas a zero.  Resta agora a derradeira jornada onde só uma vitoria por numeros gordos interessa. 

Manhã muito quente em Nine num jogo onde era o tudo ou nada para ambos os conjuntos. Os jogos entre ambas as equipas em epocas anteriores têm sido pautados por vitorias ténues conseguidas por detalhes. E este jogo não foi excepção, com os golos a aparecerem de bola parada já na segunda parte. O Ninense procurava uma vitoria que lhe assegurasse o segundo posto na classificação, pelo que entrou a todo o gás na partida. Numa primeira parte bem jogada de lado a lado, o equilibrio entre ambas as equipas foi notorio, até porque o minimo erro poderia ser fatal. Andre, com um remate de longe quase marcava pelo Ninense, e foram poucas mais as oportunidades para destarem o nó da igualdade. O segundo tempo foi iniciado de forma mais pausada e com sinal mais do Ruivanense. No entanto, o guardião ninense entre os postes  foi dando confiança aos seus colegas com duas defesas primorosas. Na frente de ataque , Alessandro e Ze tentavam importunar a defensiva dos visitantes. No entanto, o golo ninense aconteceria a meio do segundo tempo, e por intermedio de Alvaro Pinheiro. Canto batido pela esquerda , e Alvaro a subir mais alto que todos, fazendo um belo golo de chapéu ao keeper visitante. 
O golo precipitou o jogo para um ritmo bem mais elevado, com o Ruivanense a tentar em desespero um golo que os relançasse na discussão do resultado.
No entanto, a cinco minutos do fim, o golo da tranquilidade ninense, e que golo.  Andre, o centro-campista ninense, cobra um livre direto a uns bons trinta metros da baliza forasteira ,e mete a bola "na gaveta" de forma indefensável , pondo um ponto final na discussão do resultado. 
Com esta vitoria, o Ninense assegura o segundo lugar da serie , mas a subida ainda está dependente da derradeira jornada, onde o Ninense tem forçosamente de vencer no terreno do Delães , se possivel por numeros gordos, para almejar um dos melhores segundos lugares das series. 
Na prática, se o Ninense vencer o seu jogo e o Vieira ( da serie D ) não vencer no terreno do Arões, o Niense carimba o segundo melhor lugar das quatro series. Já uma vitoria das duas equipas ( Ninense e Vieira) , apenas dará vantagem ao Ninense se marcar mais seis golos de diferença que o Vieira. 
Assim sendo, tudo se resume ao ultimo e derradeiro jogo em Delães, para a consagração desta jovem equipa ninense.

domingo, 10 de maio de 2015

Seniores: Terminou o sonho da subida


Ninenses tiveram dominio de jogo, inumeras oportunidades para marcar,  mas jogo terminou como começou : a zeros.

Terminou o sonho de chegar ao titulo esta epoca. A tarefa , já se sabia, era por si só dificil , já que os rivais diretos tinham vantagem pontual sobre o conjunto famalicense. 
O jogo começou com alguma polemica. Logo no primeiro minuto de jogo, Canetas marca pelo Ninense, após uma bola dividida com o central Francisco. O arbitro da partida entende que o avançado ninense usou o braço para dominar a bola , e acaba por anular um golo aparentemente regular. Pouco depois, é Hugo Pinheiro quem sobe á area visitante, mas o cabeceamento sai por cima da baliza de Andre. 
A primeira parte arrefeceu os animos e embora sob um claro dominio dos ninenses, com mais posse de bola e iniciativa de jogo, os lances de golo eminentes acabaram por não aparecer. O Taipas apenas daria um ar da sua graça já perto do intervalo, com um livre perigoso de Miki, mas a bola saiu ao lado das redes de Andre Ferreira. Já sobre o intervalo, o avançado ninense Canetas aparece na cara do guardião visitante, mas acerta nas orelhas da bola , levando o nulo para o intervalo. 
No segundo tempo, Hugo Santos arrisca mais na frente de ataque , fazendo entrar Meira para o lugar de Rafa. 
Aos dez minutos, Cadete aparece sozinho na area dos forasteiros, mas o remate sai por cima da baliza. Canetas não faria melhor pouco depois, e quando se preparava para rematar , deixa-se antecipar pelo defesa. Logo de seguida, Cadete remata com potencia , mas Francisco, no caminho da bola, desvia para canto. 
O Taipas tinha preparado bem a tatica, e raramente ousou avançar em terrenos mais subidos, preferindo os contra-ataques por intermedio de Pedro e do veterano Ze Manuel. Numa dessas jogadas, o avançado forasteiro aparece desmarcado, mas Vitor Martins corta bem para canto. 
O ultimo quarto de hora foi jogado de forma dramatica, e bem poderia ter pendido para os da casa. 
Primeiro é Christophe quem aparece pela esquerda e centra para Cadete, que no entanto remata ás malhas laterais. Depois , um centro pela direita surpreende todos , a bola fica ao alcance de Canetas , que toca devagar para o guarda-redes visitante. Na resposta, Ze Manuel quase marca um chapeu a Andre Ferreira, mas a bola sai um pouco ao lado. Faltavam cinco minutos para o final e nova perdida incrivel dos ninenses, com a bola a fazer uma autentica carambola entre os avançados ninenses, e Andre , finalmente a desviar para canto. 
Era o canto do cisne, numa tarde de pouca inspiração e de muitas oportunidades falhadas, e cujo empate no final acabava por penalizar a equipa famalicense e atira-la irremediavelmente de fora da corrida ao titulo esta temporada. 

"É um empate com sabor amargo. Em Janeiro, quando para cá viemos, tinhamos a ambição de chegar ao primeiro lugar. Tivemos oportunidades para isso, e hoje poderiamos e  deveriamos ter ganho, mas infelizmente a bola nao entrou. É um empate com sabor a derrota. Mas acho que é de louvar o esforço que esta direção e adeptos tiveram sempre com a equipa, e aconteça o que acontecer até ao final, ficaremos com a sensação que acabamos por fazer uma boa epoca desportiva"
Hugo Santos , treinador do Ninense

FICHA DE JOGO 

Campeonato Pro-Nacional AF BRAGA 

Complexo Desportivo de Nine

AD NINENSE 0 - CC TAIPAS 0 

Arbitro: Joel Vale auxiliado por Valdemar Maia e Luis Ferreira

Pelo Ninense jogaram: Andre Ferreira, Hugo Pinheiro, Joao Dias, China, Cadete, Vitor Martins (Luis Tiago 82 m), Christophe, Barroso, Rafa ( Meira 46 m), Cesario e Canetas.
Treinador: Hugo Santos

Pelo Taipas jogaram: Andre, Joao Paulo, Francisco, Bruno Machado, Ze Manuel, Bruno (Fabio 83 m), Miki, Pedro ( Cerqueira 83 m), Peixe, Diogo (Moreira 90 +2 m), Andre Campos. 
Treinador : Helder Batista

Disciplina: Cesario ( 66 m e 90+2 m), Cadete ( 67 m), Andre Campos ( 69 m), Diogo (74 m), Meira ( 74 m), Andre Ferreira (90+2 m).
Vermelhos: Cesario (por acumulação ) e Cadete ( após apito final).

sábado, 9 de maio de 2015

Juvenis:Vitoria magra em tarde de desperdicio


Golo solitario de Marco Amorim decidiu a discussão dos três pontos e relança os Juvenis na corrida aos lugares cimeiros do grupo.


Tarde de sol e calor em Tadim , onde se defrontavam duas equipas procurando pontos para os seus objectivos. Começou melhor o Ninense com Alessandro a aparecer isolado frente ao guarda-redes, mas uma ultima finta permitiu o desarme de um jogador do Tadim. Com uma entrada forte, adivinhava-se o golo ninense, que acabaria por acontecer por intermedio do inevitável Marco Amorim. Livre batido pela direita,e Marco Amorim a cabecear ao segundo poste como mandam as regras para o fundo da baliza dos da casa.

O Tadim acusou o golo, e tentou subir no terreno. No entanto , era o Ninense quem ia somando perdidas atrás de perdidas. Alessandro e Ze Carlos somaram , pelo menos duas oportunidades flagrantes de golo, ainda no primeiro tempo.
O segundo tempo trouxe um Tadim mais atrevido, querendo mandar no desafio. Bruno Ferreira saíria lesionado, e subitamente o meio campo ninense ficou algo descompensado, permitindo ao Tadim esboçar rapidos contra-golpes. Ainda assim, seria dos pés de Ze Carlos e Alessandro que ocorreram novos lances de perigo, somando novamente algumas perdidas clamorosas.
Mediante tanto desperdicio, a vantagem minima deu sempre alguma incerteza até ao apito final do arbitro, num jogo onde os visitantes podem queixar-se de si proprios, tantas foram as oportunidades de golo falhadas  nos oitenta minutos de jogo.
Com este resultado, o Ninense ascende ao segundo posto na tabela classificativa, agora que faltam somente duas jornadas para o termino do campeonato.