domingo, 15 de maio de 2016

Ninense despede-se do campeonato com derrota caseira


Derrota caseira frente ao despromovido Antime aconteceu já no segundo tempo.

O Ninense despediu-se dos relvados esta epoca com uma derrota frente aos fafenses do Operario de Antime, num jogo onde curiosamente até esteve na frente do marcador. 
A primeira parte foi monótona, com apenas duas oportunidades de golo. Aos seis minutos, Miguel aparece iolado na area ninense , mas China tira o golo do Antime em cima da linha de baliza.
O Ninense só responderia perto do intervalo, com Emerson livre de marcação a rematar por cima da baliza de Preto, guardião fafense. 
Descontente com a prestação da equipa, José Rego tirou Mauricio ao intervalo por Christophe e a equipa famalicense subiu de rendimento. Logo aos dois minutos, Campos remata á figura do guarda-redes visitante. Logo de seguida , o Ninense chega ao golo. Rapida escapada de Christophe pela esquerda, centro de pé esquerdo do atacante , e Barroso a fuzilar autenticamente as redes de Preto.  

Pouco depois , foi Cesario quem rematou a milimetros da baliza forasteira, gorando a hipotese de ampliar o resultado. Quem não falhou foi Ricardo, atacante do Antime, que pouco depois , num golo com alguma felicidade, acabou por fazer um remate colocado e empatar a partida. 
David poderia ter chegado novamente á vantagem ninense, mas o centro remate perto da linha de fundo proporcionou a Preto a defesa da tarde. 
O Antime chegaria mesmo á vantagem já nos dez minutos finais. Num contra-ataque da equipa fafense, Lopes teve todo o tempo do mundo e num remate cruzado , acabou por carimbar a reviravolta no marcador. David Santos, junior que entrara alguns minutos antes, quase empatou a partida, mas não correspondeu da melhor forma a um centro de Campos. 
O arbitro Tiago Castro daria por encerrada a partida pouco depois, num jogo sem casos e facil de dirigir. 
Num jogo tipico de fim de epoca, a equipa ninense arrecadou o quinto posto da classificação , vendo-se ultrapassada pelo Brito na derradeira jornada. Uns dirão que foi um epoca para esquecer, outros irão se socorrer ás estatisticas para perceber que o Ninense acabou por fazer mais pontos (60 no final) que a epoca passada (57). A certeza fica de que mais uma vez, os pontos subtraidos aos de Nine pelas equipas despromovidas acabaram por ser decisivos. Oito pontos deixados em Prado, Travassós e Antime pesaram na balança final. 
Num fim de semana de emoções, pautado pelo fim dos campeonatos regulares de Seniores, a Associação de Futebol de Braga ficou a saber que poderá ter nenhum clube filiado despromovido. O Arões, que tinha a sua posição ainda por definir , acabou por vencer o lider Oliveirense e terá de disputar um play-off nas proximas semanas. Caso vença e se mantenha mais uma temporada nos Nacionais, o Pevidém será repescado para a Pro-Nacional da proxima temporada. Contrastando a alegria de uns, note-se a tristeza de outros, com o Neves a descer aos distritais e o Vianense a ter tambem de disputar um play-off de manutenção.  


Voltando ao jogo em  Nine , no final ambos os treinadores não conseguiam deixar de lado alguma frustação pelos objectivos não conseguidos. 

"Alertei principalmente nestas ultimas duas semanas de que os adversarios teoricamente mais faceis não o são, são os mais dificeis. Apesar disso , não o fizemos da melhor maneira, há que ser humildes e pedir desculpa aos que estiveram aqui presentes hoje pelo comportamento da equipa, dos quais eu sou um dos responsaveis. O que há a fazer é refletir e meditar o que se fez até agora, e pedir desculpa pela exibição da equipa. Terminei com os futebolistas que me foi possivel, não me vou lamentar por isso, sinto-me frustrado por não ter ganho, todos gostam de ganhar, e saimos com um sabor amargo pela derrota. Independentemente de quem aqui esteja na proxima epoca, tentar fazer melhor na proxima temporada , já que este clube a sua massa associativa merece. "
Jose Rego, treinador do Ninense 

"Tivemos uma boa fase quando cheguei ao Anime na oitava jornada. Depois, quase inexplicavelmente, no inicio da segunda volta começamos a cair, a equipa ressentiu-se de falhas e lesões, e passamos uma serie de jogos sem conseguir fazer um ponto. Se começasse agora o campeonato, certamente iriamos conseguir ficar nesta divisão, mas são 34 jogos e nós já os jogamos, não podemos fazer mais"
Luis Gomes, treinador do Antime 

Campeonato Pro-Nacional AF BRAGA 

Complexo Desportivo de Nine

AD NINENSE 1  OPERARIO de ANTIME 2 

Arbitro : Tiago Castro auxiliado por Elsa Silva e Renato Castro 

Pelo Ninense jogaram: Andre Ferreira, Campos, China, David, Cesario, Emerson, Venú, Jorge Fonseca (Davide Santos 73 m ), Mauricio (Christophe 45 m), Martins (Quintas 77 m), e Barroso.
Treinador : Jose Rego

Pelo Antime jogaram: Preto, Carvalho, Miguel, Beijinhos (Castanha 62 m), Raul, Malhado, Samu, Neves (Lopes 45 m), Joel, Ismael e Ricardo (Patocas 73 m). 
Treinador: Luis Gomes

Marcador: Barroso (49 m), Ricardo (60 m) e Lopes (77 m).
Disciplina: Amarelos: China (51 m), Venú (62 m), Emerson ( 75 m), Raul (88 m).
 

segunda-feira, 9 de maio de 2016

Dez minutos finais permitiram reviravolta em Ronfe


China capitaneou os Ninenses na vitoria em Ronfe
 Reviravolta no marcador nos ultimos dez minutos permitiu aos famalicenses vencer, num jogo onde o resultado foi bem melhor que a exibição. 

Quem assistiu ao jogo deste Domingo certamente se terá interrogado como pode este Ronfe ser o lanterna vermelha do campeonato, já que o resultado final de tres golos a um a favor dos ninenses espelha de forma ténue  tudo o que se passou nos noventa minutos. 
A partida começou com um Ronfe pressionante e logo aos dois minutos Alex não cabeceia da melhor forma uma bola ao segundo poste.  O Ninense respondeu ao quarto de hora de jogo, com Nelson Oliveira isolado perante o guardião Paulinho a rematar ás malhas laterais. 
Nelson Oliveira e Martins atentos á movimentação de Guedes
Pouco depois, o capitão do Ronfe Carlos Campos recebe ordem de expulsão directa por palavras dirigidas ao juiz Flavio Sousa, deixando a sua equipa a jogar mais de uma hora em inferioridade numerica. 
Ao contrario do que possa pensar, a expulsão acabou por empolgar a equipa da casa na procura do golo. Alex , isolado na grande area, não conseguiu desfeitear o arrojado Andre Ferreira que acabou por fazer bem a mancha e adiar o golo dos locais. O Ninense apenas respondeu já perto do intervalo. Na sequencia de um canto, Pinheiro remata livre de marcação , mas Paulinho defende com bravura. Do outro lado do campo, Guedes aparece isolado perante Andre Ferreira, mas a bola sai ligeiramente ao lado. 

O Ninense acusava o facto de jogar com mais uma unidade em campo, as transições dificilmente saíram no primeiro tempo, e o nulo ao intervalo era lisonjeiro para os camandados de Jose Rego. 
O intervalo não foi bom conselheiro para os de Nine e o Ronfe começou o segundo tempo novamente por cima dos visitantes, chegando ao golo aos dez minutos por intermedio de Marquinho que numa bola colocada não deu hipoteses a Andre Ferreira. Foram tempos de aflição para os ninenses e o Ronfe só não dilatou a vantagem por duas vezes por Andre Costa por manifesta infelicidade, inclusivamente com um dos remates a bater com estrondo no ferro da baliza de Andre Ferreira. 
Jose Rego tinha de mudar algo para tornear a apatia e falta de inspiração na frente de ataque ninense e acabou por render o lesionado Pinheiro e Mauricio por Barroso e Jorge Fonseca. 
As duas substuições surtiram efeito, e bastaram nove minutos em campo para Jorge Fonseca recuperar uma bola perdida na area do Ronfe e fuzilar Paulinho , fazendo o empate. 
Nove minutos em campo, e Jorge Fonseca voltou a marcar um golo decisivo

A igualdade apenas durou dois minutos, e Venú aproveitou pouco depois uma bola perdida na area dos da casa para dar a cambalhota no marcador. Faltavam escassos minutos, e os comandados de Tiago Velho lançaram-se deliberadamente no ataque, mas com menos uma unidade em campo durante setenta minutos, acabaram por levar a estocada final pouco depois. Primeiro foi Venú quem apareceu isolado e tenta fazer um golo de antologia , mas a trivela sai ligeiramente ao lado. Depois foi Emerson quem protagonizou o momento da tarde. Com um remate a mais de sessenta metros, faz um chapeu perfeito ao guardião Paulinho. O remate acabou por surpreender todos, inclusivamente a juiz de linha , que não viu o guardião tirar a bola bem dentro da linha de baliza. No entanto , Nelson Oliveira selaria a vitoria ninense segundos depois, após roubar uma bola , correu pela esquerda e rematou cruzado , não dando hipoteses ao desamparado guarda-redes vimaranense. 

Venú promoveu a reviravolta no marcador em dois minutos

O trio de arbitragem teve de agir disciplinarmente com frequencia, e embora muito apupado pelos locais, acaba por fazer um bom trabalho, pese embora o golo não validado a Emerson.  Quanto á expulsão, apenas o juiz poderá dizer o que ouviu do jogador vimaranense.
Num jogo onde o Ronfe poderia ter feito história, prevaleceram os minutos finais de grande nivel do Ninense, e não fosse a falta de eficácia dos pupilos de Tiago Velho, o resultado poderia ter sido bem diferente, algo que foi salientado por ambos os treinadores no final da partida. 

"Na antevisão do jogo, tinha alertado que se não fossemos serios e honestos e humildes no trabalho, iriamos ter muitas dificuldades. E assim foi. O Ronfe chegou á vantagem e muito bem. Depois tive de fazer as retificações de forma a que o resto da segunda parte corresse melhor. Com as substituições acabamos por construir um outro resultado. Mas o jogo tem noventa minutos, e a honra e dignidade tem de ser mantida até ao fim. Competia-me a mim fazer ver isso, e com a compreensão dos futebolistas , alcançamos a vitoria, resultado que é bastante positivo. Quando assim é as coisas tornam-se faceis. Uma palavra tambem para o Ronfe , que nos dificultou a nossa tarefa ao maximo em campo perante um espetaculo com algumas emoções" 
Jose Rego, treinador do Ninense 

"O resultado é injusto. Jogar com dez jogadores desde os dez minutos da primeira parte. Os meus jogadores bateram-se bem , é isto que temos feito desde que cá cheguei, e acabamos desta maneira , derrotados, quando poderiamos ter goleado aqui o Ninense "
Tiago Velho , treinador do Ronfe 


Campeonato Pro-Nacional AF BRAGA 
Campo de Jogos  do Desportivo de Ronfe 

Desportivo Ronfe 1 - AD Ninense 3 

Arbitro: Flavio Sousa auxiliado por Orlando Rodrigues e Raquel Correia 

Pelo Ronfe jogaram: Paulinho, Alex (Joao 66 m), Carlos Campos, Gouveia, Salgado, Andre Costa, Ze Nuno, David, Guedes, Marquinho (Paulinho 86 m) e Junior.
Treinador : Tiago Velho

Pelo Ninense jogaram: Andre Ferreira, Martins, David, China, Emerson, Cesario, Mauricio (Jorge Fonseca 70 m), Campos, Nelson Oliveira (Leo 90+1 m), Pinheiro (Barroso 61 m) e Venú.
Treinador : Jose Rego.

Marcadores: Marquinho (51 m), Jorge Fonseca (79 m), Venú (81 m) e Nelson Oliveira ( 90 m). 

Disciplina: Amarelos: Emerson ( 8 m), Guedes (18 m), Salgado (20 m), Ze Nuno (45 m), Cesario (55 m), David (56 m), Junior (60 m), Paulinho ( 81 m), David (82 m). 
Vermelhos: Carlos Campos (20 m vermelho direto ) e Tiago Velho (Tr.) (90 m). 

domingo, 8 de maio de 2016

Dez minutos finais na reviravolta ninense


China capitaneou os Ninenses na vitoria em Ronfe
 Reviravolta no marcador nos ultimos dez minutos permitiu aos famalicenses vencer, num jogo onde o resultado foi bem melhor que a exibição. 

Quem assistiu ao jogo deste Domingo certamente se terá interrogado como pode este Ronfe ser o lanterna vermelha do campeonato, já que o resultado final de tres golos a um a favor dos ninenses espelha de forma ténue  tudo o que se passou nos noventa minutos. 
A partida começou com um Ronfe pressionante e logo aos dois minutos Alex não cabeceia da melhor forma uma bola ao segundo poste.  O Ninense respondeu ao quarto de hora de jogo, com Nelson Oliveira isolado perante o guardião Paulinho a rematar ás malhas laterais. 
Nelson Oliveira e Martins atentos á movimentação de Guedes
Pouco depois, o capitão do Ronfe Carlos Campos recebe ordem de expulsão directa por palavras dirigidas ao juiz Flavio Sousa, deixando a sua equipa a jogar mais de uma hora em inferioridade numerica. 
Ao contrario do que possa pensar, a expulsão acabou por empolgar a equipa da casa na procura do golo. Alex , isolado na grande area, não conseguiu desfeitear o arrojado Andre Ferreira que acabou por fazer bem a mancha e adiar o golo dos locais. O Ninense apenas respondeu já perto do intervalo. Na sequencia de um canto, Pinheiro remata livre de marcação , mas Paulinho defende com bravura. Do outro lado do campo, Guedes aparece isolado perante Andre Ferreira, mas a bola sai ligeiramente ao lado. 

O Ninense acusava o facto de jogar com mais uma unidade em campo, as transições dificilmente saíram no primeiro tempo, e o nulo ao intervalo era lisonjeiro para os camandados de Jose Rego. 
O intervalo não foi bom conselheiro para os de Nine e o Ronfe começou o segundo tempo novamente por cima dos visitantes, chegando ao golo aos dez minutos por intermedio de Marquinho que numa bola colocada não deu hipoteses a Andre Ferreira. Foram tempos de aflição para os ninenses e o Ronfe só não dilatou a vantagem por duas vezes por Andre Costa por manifesta infelicidade, inclusivamente com um dos remates a bater com estrondo no ferro da baliza de Andre Ferreira. 
Jose Rego tinha de mudar algo para tornear a apatia e falta de inspiração na frente de ataque ninense e acabou por render o lesionado Pinheiro e Mauricio por Barroso e Jorge Fonseca. 
As duas substuições surtiram efeito, e bastaram nove minutos em campo para Jorge Fonseca recuperar uma bola perdida na area do Ronfe e fuzilar Paulinho , fazendo o empate. 
Nove minutos em campo, e Jorge Fonseca voltou a marcar um golo decisivo

A igualdade apenas durou dois minutos, e Venú aproveitou pouco depois uma bola perdida na area dos da casa para dar a cambalhota no marcador. Faltavam escassos minutos, e os comandados de Tiago Velho lançaram-se deliberadamente no ataque, mas com menos uma unidade em campo durante setenta minutos, acabaram por levar a estocada final pouco depois. Primeiro foi Venú quem apareceu isolado e tenta fazer um golo de antologia , mas a trivela sai ligeiramente ao lado. Depois foi Emerson quem protagonizou o momento da tarde. Com um remate a mais de sessenta metros, faz um chapeu perfeito ao guardião Paulinho. O remate acabou por surpreender todos, inclusivamente a juiz de linha , que não viu o guardião tirar a bola bem dentro da linha de baliza. No entanto , Nelson Oliveira selaria a vitoria ninense segundos depois, após roubar uma bola , correu pela esquerda e rematou cruzado , não dando hipoteses ao desamparado guarda-redes vimaranense. 

Venú promoveu a reviravolta no marcador em dois minutos

O trio de arbitragem teve de agir disciplinarmente com frequencia, e embora muito apupado pelos locais, acaba por fazer um bom trabalho, pese embora o golo não validado a Emerson.  Quanto á expulsão, apenas o juiz poderá dizer o que ouviu do jogador vimaranense.
Num jogo onde o Ronfe poderia ter feito história, prevaleceram os minutos finais de grande nivel do Ninense, e não fosse a falta de eficácia dos pupilos de Tiago Velho, o resultado poderia ter sido bem diferente, algo que foi salientado por ambos os treinadores no final da partida. 

"Na antevisão do jogo, tinha alertado que se não fossemos serios e honestos e humildes no trabalho, iriamos ter muitas dificuldades. E assim foi. O Ronfe chegou á vantagem e muito bem. Depois tive de fazer as retificações de forma a que o resto da segunda parte corresse melhor. Com as substituições acabamos por construir um outro resultado. Mas o jogo tem noventa minutos, e a honra e dignidade tem de ser mantida até ao fim. Competia-me a mim fazer ver isso, e com a compreensão dos futebolistas , alcançamos a vitoria, resultado que é bastante positivo. Quando assim é as coisas tornam-se faceis. Uma palavra tambem para o Ronfe , que nos dificultou a nossa tarefa ao maximo em campo perante um espetaculo com algumas emoções" 
Jose Rego, treinador do Ninense 

"O resultado é injusto. Jogar com dez jogadores desde os dez minutos da primeira parte. Os meus jogadores bateram-se bem , é isto que temos feito desde que cá cheguei, e acabamos desta maneira , derrotados, quando poderiamos ter goleado aqui o Ninense "
Tiago Velho , treinador do Ronfe 


Campeonato Pro-Nacional AF BRAGA 
Campo de Jogos  do Desportivo de Ronfe 

Desportivo Ronfe 1 - AD Ninense 3 

Arbitro: Flavio Sousa auxiliado por Orlando Rodrigues e Raquel Correia 

Pelo Ronfe jogaram: Paulinho, Alex (Joao 66 m), Carlos Campos, Gouveia, Salgado, Andre Costa, Ze Nuno, David, Guedes, Marquinho (Paulinho 86 m) e Junior.
Treinador : Tiago Velho

Pelo Ninense jogaram: Andre Ferreira, Martins, David, China, Emerson, Cesario, Mauricio (Jorge Fonseca 70 m), Campos, Nelson Oliveira (Leo 90+1 m), Pinheiro (Barroso 61 m) e Venú.
Treinador : Jose Rego.

Marcadores: Marquinho (51 m), Jorge Fonseca (79 m), Venú (81 m) e Nelson Oliveira ( 90 m). 

Disciplina: Amarelos: Emerson ( 8 m), Guedes (18 m), Salgado (20 m), Ze Nuno (45 m), Cesario (55 m), David (56 m), Junior (60 m), Paulinho ( 81 m), David (82 m). 
Vermelhos: Carlos Campos (20 m vermelho direto ) e Tiago Velho (Tr.) (90 m). 

domingo, 1 de maio de 2016

Grande espetaculo de futebol deu empate em Nine



Ninense esteve a perder , deu a volta ao marcador, mas uma grande penalidade a favor do Maria da Fonte já nos instantes finais selou um empate que acabou por não servir nenhuma das equipas. 

Em Nine jogava-se o jogo decisivo da epoca onde duas das melhores equipas precisavam dos três pontos para ainda alimentar o sonho de chegar ao podio da classificação. 
O jogo começou movimentado, e logo aos cinco minutos, Tó Barbosa remata á figura do guardião forasteiro Miguel. Segui-se Christophe que em jogada individual quase faz um grande golo, mas Neno desvia o remate para canto.  Ao quarto de hora, o Maria da Fonte chega ao golo por intermedio de Luca, aproveitando uma saída em falso de Fabio, guardião ninense.  A equipa famalicense acusou o golo , e o Maria da Fonte poderia ter mesmo ampliado a vantagem. Primeiro foi Gil quem escapou pela esquerda, mas o remate saiu cruzado. Abreu copiou o colega e rematou tambem ao lado. Depois foi Luca quem desperdiça um brinde de Pinheiro , rematando fraco á figura de Fabio. 

Jose Rego, tecnico ninense , não esperou mais , e á passagem da meia faz dupla alteração no onze inicial, fazendo render Mauricio e Martins por Cesario e Campos. 
O Ninense apostava em mais poder de fogo na frente e o Maria da Fonte recuava as linhas defensivas procurando através de  contra-ataques venenosos contrariar o balanceamento ofensivo dos de Nine. 
Perto do intervalo, o ninense Venú quase marca de canto direto.   
Estava dado o mote para um segundo tempo, onde em abono da verdade, o Ninense tudo fez para conseguir um outro resultado. Aos doze minutos , Barroso entra para o lugar de Tó Barbosa. 
Campos dá o primeiro sinal de perigo logo de seguida, mas Miguel defende com a ponta dos dedos com dificuldade. Venú , em duas situações , quase marca com remates de meia distancia. Aos 23 minutos, o Ninense chega ao empate na marcação de uma grande penalidade por mão de Rafa na area.Venú engana Miguel e relança a partida. 
O jogo ficou novamente interessante, com ambos os conjuntos a procurarem um resultado diferente que não agradava nenhuma das partes. No entanto era o Ninense quem estava a comandar as operações e a somar as principais chances de golo. Barroso cabeceia ligeiramente por cima a centro de Christophe. Aos 34 minutos, muita apatia na area visitante, Campos ganha a bola e num remate do meio da rua , marca um grande golo, dando vantagem aos comandados de Jose Rego. 

Já perto do final, na sequencia de um canto , Emerson quase sela a vitoria, mas o remate sai á figura do guardião Miguel. Faltavam dois escassos minutos para os noventa, e numa bola longa, David e Gil acabam estatelados no chão. O arbitro do encontro não teve duvidas, e marcou a grande penalidade para os forasteiros. Na marcação do castigo maximo , Bruno Cunha restabeleceu novamente a igualdade. 
Os minutos finais foram muitos emotivos , com ambas as equipas a arriscarem tudo para desfazer a igualdade. O tempo de compensação logo chegou. Três substituições e duas assistencias medicas, uma delas demorada ao guardião Miguel pouco justificam os escassos três minutos dados pelo juiz da partida. 
No final, todos reclamaram , ninguém saiu satisfeito , e o empate pode ter hipotecado as ambições de ambas as equipas. 
No final, ambos os tecnicos realçaram o grande desafio de futebol desta tarde. Jose Rego destacou o valor e bravura com que a sua equipa deu a volta ao resultado. Já Roger Bastos considerou que foi um bom jogo, valorizando a primeira parte da sua equipa, criticando a forma como o Ninense deu a volta ao marcador quer no criterio da marcação da grande penalidade quer na permissividade dos seus atletas no segundo golo do Ninense.

" Na primeira meia hora não entramos bem, estavamos a perder, mudei. A partir daí e até ao final do jogo, controlamos completamente. Marcamos em duas oportunidades, podiamos ter feito mais golos. Não há nada a apontar aos meus jogadores, fizeram um grande jogo e quando assim é , só tenho de os louvar. Conseguiram dar a reviravolta a esta equipa, que é uma boa equipa que se bate bem, competitiva e agressiva.   As outras incidencias do jogo não vou comentar. O ultimo lance da partida que dá o empate ao Maria da Fonte não vou comentar, faz parte do jogo. "
Jose Rego, tecnico do Ninense

" Fizemos uma excelente primeira parte,além do golo temos mais três boas situações para marcar, e estamos a falar de bolas isoladas pelo Gil, o Abreu e o Luca . Na segunda parte, tentamos alterar a estrutura tambem pelas duas substituções do Nine, que acabou por não fazer grande mossa, mas que foi deitada por terra por uma grande penalidade que é discutivel. As leis mandam não marcar grande penalidades em remates á queima roupa e hoje tinha avisado os meus jogadores, que se se pusessem a jeito , iriam morrer. Pusemo-nos a jeito , e depois o segundo golo do Nine é fruto da falta de caracter de um ou outro jogador da nossa equipa, que estão dentro do campo á espera que as coisas aconteçam. Eu estou tambem um pouco limitado a ter de engolir estes sapos, pois se tivesse mais dois ou três jogadores, provavelmente eles já cá nem andavam"
Roger Bastos, tecnico do Maria da Fonte

Ficha do Jogo 

Campeonato Pro-Nacional AF BRAGA 

Complexo Desportivo de Nine 

AD NINENSE 2 - SC MARIA DA FONTE 2  

Arbitro: Gaspar Castro auxiliado por Gaspar Fernandes e Tiago Mendes

Pelo Ninense jogaram: Fabio, Martins (Cesario 30 m), China, David, Nelson Oliveira, Emerson, Venú, Pinheiro, Mauricio (Campos 30 m), Christophe e Tó Barbosa (Barroso 57 m).   
 Treinador : Jose Rego 

Pelo Maria da Fonte jogaram: Miguel, Neno, Bruno Oliveira, Rui, Ricardo, Abreu (Russo 76 m), Henrique, Gil, Luca (Rui Neves 80 m), Bruno Cunha e Rafa.  
Treinador: Roger Bastos 

Marcador:  Luca (15 m), Venú (71 m g.p.), Campos (79 m) e Bruno Cunha (88 m g.p.).

Disciplina:  Nelson Oliveira ( 30 m), Abreu (63 m),  Ricardo (73 m), David (88 m), Emerson ( 89 m), China (90 m).

domingo, 24 de abril de 2016

Ninense levou a melhor no derbi famalicense


Imagem do ultimo Ninense Joane 

Vitoria ninense pela margem minima relança equipa de Nine na luta por um lugar no podio. 

A equipa do Ninense bateu esta tarde o conjunto do Joane com um golo solitario na primeira parte, onde o centro de Christophe após alguns ressaltos acabou no fundo das redes visitantes.
Num jogo onde o resultado acaba por ser escasso, face ás muitas oportunidades de golo criadas, com bolas nos ferros e  golos miraculosamente tirados em cima da linha de golo , o Ninense "matou o borrego" nos confrontos com o Joane, já que este encontro foi o terceiro embate das duas equipas esta temporada, tendo os anteriores desafios resultado numa derrota e no afastamento da Taça AF Braga para os comandados de Jose Rego.
Com esta importante vitoria, o conjunto de Nine renasce na luta pelo terceiro posto, um lugar que dá acesso á participação na Taça de Portugal na proxima temporada. 
Numa jornada que conheceu o já há muito anunciado campeão Merelinense e carimbou a descida a mais uma equipa , o Operario de Antime, as três ultimas jornadas reservam ainda muita emoção e prometem muito nos derradeiros desafios.