quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Treinador do Ninense recusa "rotulo" de candidato á subida



        In " Correio do Minho"

     JOÃO FERNANDO, treinador do Ninense, avisou os jogadores de que vão colar ao clube o “rótulo” de candidato à subida e relativiza a ordem dos jogos ditada pelo sorteio da Pró-Nacional, com estreia no novo relvado do Merelinense.

    "Se foi o sorteio ideal ? Nós não sabemos", assim comenta em declarações ao Correio do Minho, João Fernando, o treinador do Ninense , sobre os primeiros jogos do campeonato Pró-Nacional: na primeira ronda visita o Merelinense, e no segundo jogo em casa, recebe o Ronfe. 
   Lembrando que o sorteio é condicionado e nos últimos anos há vários clubes que preferem começar a jogar em casa, o novo treinador do Ninense realça que também o primeiro adversário do campeonato está em remodelação. "“O Merelim mudou de treinador, está a construir uma equipa nova, até mesmo o relvado vai ser novo", frisou Joao Fernando, adiantando que "vamos tentar pontuar, pelo menos não perder". Sobre o Ronfe, adversário da segunda ronda, salienta que se trata de uma "estrutura solida", mas avisa que o Ninense encara os obstáculos “como a água que os vai transpondo”. 
   “Nós não vamos conseguir superar todos os obstáculos, mas vamos procurar superar a maior parte”, acrescentou o treinador do Ninense. Num olhar mais largo ao campeonato que se avizinha, João Fernando considera que há “meia dúzia de equipas muito bem apetrechadas”, mas garante “respeito por todos” .
   Questionado sobre se o facto de o Ninense ter, na época finda, baixado do Campeonato Nacional de Seniores á Pro- Nacional  faz ou não deste clube um candidato à promoção, João Fernando esclarece: “eu avisei os meus jogadores  que vão tentar colar-nos esse rótulo, mas também há muitos  lobos com pele de cordeiro”. Para o treinador do Ninense, as equipas “estão a apetrechar-se, mas não basta ir buscar o jogador A  B, C ou D para fazer uma boa equipa e o rótulo de candidato temos de o provar mas é em campo, não vivemos da treta”.
  Ficar em primeiro e subir de escalão — reconhece, “toda a gente gostaria: gostaria qualquer treinador, gostaria qualquer jogador, a direção e a massa associativa". Porém, este campeonato é “como uma piramide  em que se parte de uma base mas no fim só um vai chegar ao vértice superior” e “é difícil prever agora o que vai ser em Maio de 2015”, acrescenta ainda. João Fernando resume a equação considerando que, neste momento, “há dezoito candidatos e todos são competentes mas no fim ganha quem for mais competente”. O treinador do Ninense realça que há muitos factores em presença,  recordando questões como a da dimensão dos campos, que podem impedir um clube de subir ao Nacional de Séniores.




Sem comentários:

Publicar um comentário