segunda-feira, 7 de maio de 2018

Ninense deu a volta ao marcador nas Marinhas

 
O Ninense foi ao terreno do Marinhas vencer por duas bolas a uma, com Rui Gomes a bisar para os famalicenses já na reta final da partida.
A primeira parte foi muito pobre , mas seria o Ninense a ter a primeira oportunidade logo aos três minutos, quando Junior rematou mas o guardião Pinha defendeu com dificuldade para canto.  Os homens da casa ainda acreditavam na matemática dos pontos, e assumiram desde cedo as despesas da partida, chegando ao golo por intermedio de Joao Vitor ainda antes da meia hora de jogo.
Os homens da casa poderiam ter mesmo ido com maior vantagem para o intervalo, quando o central Kassio rematou de longe e a bola a bater com estrondo no travessão da baliza de Marafona.
O intervalo fez bem aos comandados de Hugo Santos, que vieram bem melhor para o segundo tempo. Logo a abrir, o recém-entrado Nuno Afonso bate um livre direto, mas a bola caprichosamente esbarra no ferro da baliza de Pinha. Estava dado o mote, e o jogo começou a desenrolar-se com alguma intranquilidade de parte a parte, mas com o juiz da partida José Assis prontamente a segurar os ânimos, não deixando passar em claro alguma picardia que tomava conta dos jogadores, algo natural já que os visitantes procuravam contrariar o resultado, ao passo que os homens da casa tentavam desesperadamente segurar o resultado para ainda acalentar esperanças de não serem despromovidos.
Acabaria por ser a equipa das Marinhas a primeira a ceder, e aos 80 minutos, Tulio acabaria mesmo por ser expulso da partida ao cometer grande penalidade indiscutível por derrube a um atacante ninense. Na conversão do castigo máximo, Rui Gomes empataria a partida.
Os homens da costa sentiram o golo, e no minuto seguinte, Rui Gomes falha o golo da reviravolta, quando em jogada individual contorna o guarda-redes da casa, mas remata ao lado do poste .
Os dez minutos finais foram jogados em alta rotação, com ambas as equipas a tentarem assegurar a vitoria, mas seriam novamente os famalicenses a serem mais felizes, quando num rápido contra-ataque Rui Gomes escapa pela direita e fuzila as redes do desamparado Pinha.
Chegava-se ao minuto 90, e apito do arbitro José Assis soaria pouco depois.
Este trio de arbitragem é reconhecidamente um dos melhores do quadro, com o arbitro principal sempre a deixar jogar e a ir apenas ao bolso buscar cartões em situações extremas, privilegiando o diálogo em detrimento ao abuso na autoridade.
No final notava-se o rosto transtornado em especial em jogadores como Salgado e Jerónimo, que sentem esta camisola azul e branca como poucos.
Uma palavra de apreço para o Futebol Clube Marinhas. Desceram de divisão, mas seguramente regressarão mais fortes, já que é inequivocamente uma equipa deste patamar. 

Sem comentários:

Publicar um comentário