sábado, 23 de novembro de 2013

Juniores de Honra afastam Ribeirão na Taça


Lotaria dos penaltis ditou passagem dos ninenses. Daniel Araujo foi o homem do jogo. 

Quase dois meses após o jogo da primeira mão, e apesar da vantagem ninense trazida de Nine desse jogo (3-2 foi o resultado final), poucos auspiciavam a passagem na Taça dos Ninenses em Ribeirão. O Ribeirão apostou fortemente esta epoca em fazer chegar esta equipa aos Nacionais da categoria, numa altura em que se encontra na terceira posição da Divisão de Honra. Muitos diziam que o jogo da primeira mão tinha sido condicionado por ser o primeiro jogo da temporada e pela onda de lesões que na altura assolava o plantel ribeirense, pelo que a passagem á segunda eliminatoria seria quase que uma formalidade. Puro engano. 
Neste Sabado, o Ribeirão encontrou uma equipa de Nine unida, solidaria que soube aceitar que o adversario em determinadas alturas do jogo foi mais forte, lutando com a determinação que começa a tornar-se a imagem de marca destes Juniores.
A primeira parte foi de dominio intenso dos homens da casa, com o Ninense a remeter-se á sua area. Perto da meia hora, o Ribeirão chegaria mesmo ao golo, na sequencia de um bom golpe de cabeça não dando hipoteses ao guarda-redes ninense Daniel Araujo.  O Ribeirão poderia mesmo ter dilatado o marcador, não fosse algum desacerto dos seus avançados que na hora do remate encontravam Daniel Araujo nas redes ninenses ou pura e simplesmente chutavam ao lado. 
O intervalo, porém , tranquilizou os comandados de Sergio Campelo que apesar da desvantagem no marcador percebiam que a eliminatoria estava...empatada. 


Sendo assim, as melhores oportunidades do segundo tempo acabaram por ser do Ninense. Lançando rapidos contra-ataques por intermedio de Jordan e Higor, a defensiva ribeirense começou a ser posta á prova. Já nos momentos finais do tempo regulamentar , seria mesmo Diogo Matos quem falharia o golo do Ninense ao rematar cruzado mas ao lado. 
O prolongamento não trouxe muito de novo, com o Ribeirão novamente a subir no terreno , mas acabando os lances de forma inconsequente. 
Tempo de penaltis, já com o cair da noite no horizonte.  No entanto, seria Daniel Araujo a brilhar para o lado do Ninense, defendendo duas grandes penalidades.  Peixoto, Jorge Fonseca, Pedro Seveiro marcaram pelo Ninense e Fresko, que entrara na partida , copiou os colegas, marcando com mestria o penalti decisivo dos de Nine. 
A alegria trazida com o apito final foi contagiante entre os ninenses. Embora a fase na Taça seja ainda precoce, a equipa de Nine vingou a derrota da ultima temporada e ganhou o titulo de tomba-gigantes ao derrotar uma equipa de um escalão superior. 


Sem comentários:

Publicar um comentário