domingo, 8 de novembro de 2015

Outra vez a maldição dos penaltis falhados


 

Ninenses desinspirados falharam grande penalidade ao abrir a partida, jogaram em superioridade numerica mais de 50 minutos mas tudo acabou como começou: a zeros.

Os Seniores da Associação Desportiva Ninense foram ao terreno do lanterna vermelha Prado e deixaram dois preciosos pontos mercê de um empate inesperado mas que acaba por se ajustar ao pobre futebol desenvolvido nos 90 minutos de jogo.
Hugo Santos repetiu o onze inicial da semana passada que havia levado de vencida o Forjães e a equipa ninense até começou bem a partida.  Aos dez minutos, Christophe aparece isolado frente ao guarda-redes Miguel e é placado por Pedro Costa, que levou o seu primeiro amarelo. Do lance, o atacante ninense sairia lesionado e seria substituido por Nelson Oliveira. Na conversão da grande penalidade, Miguel adivinha bem o remate de Martins e mantem as redes intactas.   
O lance elevou a moral dos da casa , ao invés dos ninenses que nunca mais se reencontraram em jogo, ressuscitando fantasmas recentes como no jogo frente ao Terras do Bouro.  De facto, as jogadas de perigo nunca apareceram e havia pouco esclarecimento entre as hostes visitantes, com um festival de passes errados em especial no ultimo terço do terreno do jogo, situação que perduaria até ao final do tempo regulamentar. 


Já perto do intervalo , nova contrariedade para os da casa, com Pedro Costa a levar o segundo amarelo por entrada violenta a Joao Dias e respectiva ordem de expulsão. Do lance, Joao Dias sairia tambem ele lesionado , dando o seu lugar a Cesario. 
A segunda parte foi novamente uma pálida imagem de promoção ao que deve ser o futebol.  Embora os visitantes tenham tido mais iniciativa de jogo , os pradenses recuaram o seu bloco , procurando chegar a bola ao experiente Bruno Silva, jogador que de resto , passou por Nine. Num desses lances , Bruno Silva tenta o chapéu do meio do campo a Andre Ferreira , mas a bola sai ligeiramente por cima. 
Embora com mais uma unidade em campo, o Ninense apenas criou perigo com alguns remates de meia distancia , protagonizados por Venú, Hugo Pinheiro e Cesario.  Muito pouco , diga-se, para uma equipa que se apelida de ambiciosa.   Os passes saiam errados, e o tempo corria a favor dos homens da casa, pautado por algum anti-jogo, proprio de quem lhes servia o precioso ponto. 
No entanto, o Prado quase fazia a gracinha em dois lances. Primeiro é Ruizinho que num remate de fora da area quase marca . Depois seria Adriano num pontape livre directo a pôr á prova os reflexos de Andre Ferreira que defendeu para canto. Os minutos finais da partida foram repartidos por varias assistencias a jogadores e guarda-redes dos homens da casa, segurando o precioso ponto. 
Quanto aos dois pontos que hoje voaram das contas ninenses, o futuro dirá o quanto foram importantes ou não nas contas finais, num jogo pobre e palido de oportunidades, onde os ninenses poderiam e deveriam ter feito bem mais.
O trio de arbitragem  teve um trabalho arduo e foi muito contestado pelos homens da casa, em especial no ajuizamento dos lances capitais como a grande penalidade e a expulsão de Pedro Costa, assim como no criterio utilizado disciplinarmente. 

" O resultado é inteiramente justo. O Ninense veio aqui hoje jogar com o Prado com o fato de gala e quando não se respeita o adversario e o jogo, só isto pode acontecer. Sinceramente, não me importava de ter perdido este jogo, porque é preciso abrir os olhos e é preciso perceber que todas as equipas podem tirar pontos a qualquer equipa e todos nós, jogadores, treinadores, directores , ainda não percebeu isso. Viemos de fato de gala a pensar que vinhamos a um jantar-convivio. Só que o jantar-convivio correu mal e o Prado foi um justo conquistador do ponto amealhado. O campeonato não permite este tipo de facilidades. Quando não se consegue entender que é nestes jogos que se perdem ou ganham campeonatos, e que o fato de gala é para ficar em casa ao domingo, e é para vir jogar á bola, vamos aqui andar a passar tempo" 
Hugo Santos, treinador do Ninense


" Considero que ganhamos um ponto frente a uma equipa que sabiamos nos iria criar muitas dificuldades. Jogamos quase uma hora com menos um, mas não deixamos de ser uma equipa organizada , sem nunca abdicar do ataque. Sabiamos que não nos podiamos desleixar defensivamente e conseguimos segurar até ao final. É mais um ponto que entra , o futuro dirá se somos competentes para ficar nesta divisão" 
Lelo , treinador do Prado


Campeonato Pro-Nacional AF BRAGA 


GD Prado 0 - AD Ninense 0 

Campo do Faial 

Arbitro : Paulo Gonçalves com Carlos Torres e Joao Silva 

Pelo Prado jogaram: Miguel ( Rafa 87 m), Alexis ( Ruizinho 52 m), Pedro Costa, Adriano, Vitor, Bruno Silva ( Leão 89 m), Cardoso, Celso, André , Gil e Duarte.
Treinador: Lelo

Pelo Ninense jogaram: Andre Ferreira, China, Hugo Pinheiro, Barroso, David, Martins, Joao Dias (Cesario 43 m), Venú, Socrates, Joaozinho ( Tó Barbosa 66 m ) e Christophe ( Nelson Oliveira 14 m).
Treinador : Hugo Santos 

Disciplina: Amarelos:  Pedro Costa ( 10 + 39 m ), China ( 21 m), David ( 26 m), Andre ( 45 m), Cesario (80 m), Adriano ( 90 + 2 m), Celso ( 90+3 m).

Sem comentários:

Publicar um comentário